Viagem aos Açores by Isabel Silva

Mariana Soares / Publicado a
Isabel Silva, embaixadora da Top Atlântico +Planeta conta-nos tudo em primeira mão sobre a sua viagem aos Açores! No artigo que publicamos há dias em que a Isabel Silva fala sobre viagens sustentáveis desvendámos tudo sobre a nossa sinergia a nossa embaixadora no projeto Top Altântico +Planeta. Desafiamo-la vir connosco na expedição: “Macronésia e Teto do Atlântico” num programa que mostra a essência das Ilhas de S. Miguel e Pico. E a Isabel aceitou a aventura sem hesitar.

“Esta viagem aos Açores foi espetacular”

Na 2ª parte da entrevista, Isabel Silva conta-nos tudo ao pormenor sobre esta viagem que foi para si muito mais do que lazer e que ficará para sempre na sua memória. Conta-nos como é que esta aventura a marcou e como é que este conceito de viagens permite um contacto profundo com a Natureza, com as gentes e cultura locais e como permite uma experiência mais sustentável . Na companhia de dois grandes amigos e do Pedro Alexandre da Equipa da Top Atlântico que os acompanhou todo o percurso nos Açores, a Isabel descobriu os encantos de S.Miguel e da Ilha do Pico. São Miguel O Trekking da Lagoa do Fogo, a paisagem é muito bonita e vale muito a pena. Recorda os trekking incríveis que fizeram, pela Lagoa das 7 Cidades mas com destaque para o da Lagoa do Fogo, em especial o momento da chegada ao topo. Nas suas palavras “vi aquela paisagem, absolutamente, inspiradora…Almoçámos ali, levámos a nossa lunch box, e tivemos ali um almoço espetacular, com tempo, sem pressa, e a usufruir do momento” Ter tempo para usufruir de cada momento é algo que a Isabel também destaca: “Outro fator importantíssimo nestas viagens é termos mais tempo para fazer tudo. Vemos as coisas, visitamos os lugares mas, sobretudo, vivemos a experiência! Porque nós não andamos neste mundo para existir, nós andamos neste mundo para viver!” Ao longo do caminho, teve oportunidade de encontrar gentes locais com quem pôde trocar experiências, sendo para ela algo de imenso valor neste tipo de viagens – o contacto humano, a conversa, a história e experiencia de vida dos locais . Da Ilha de S. Miguel realça também o sotaque dos habitantes que torna tão especial esta terra e que nos faz emergir na sua cultura, “bebendo” um pouco do que é ser micaelense.

“Adorei ir às Furnas!”

Um dos pontos altos da viagem ao Açores foi a visita às famosas Furnas. “Aquela zona é espetacular para andar ali de bicicleta, para fazer uma caminhada…aquilo é lindo!” E destaca ainda o famoso cozido. Para além de ter visto todo o processo da confeção do cozido nas profundezas da terra, acabou ainda por, junto das próprias cozinheiras, assistir aos passos seguintes até aquela iguaria chegar à mesa. “Ver todo esse processo e depois poder a comer aquilo que eu vi … foi uma refeição que contou uma história bonita, adorei!” Mesmo pertinho das Furnas, o Parque da Terra Nostra ficou também no topo de preferências da Isabel. “Eu convido toda a gente a ir lá. Aquilo é altamente “instagramável” mas devo dizer que tirei poucas fotografias. Estávamos a gostar tanto, a viver tanto que, às páginas tantas, até nos passou tirarmos algumas fotografias. Nós queríamos era viver aquilo, … é muito bonito!” A Isabel Silva recomenda o trekking como atividade ideal para desfrutar das paisagens e para os fãs de aventura aconselha, vivamente, o canyoning na Ribeira dos Caldeirões – “… a adrenalina é espantosa!”. Já no que diz respeito ao contato com as comunidades, a Isabel traz no seu coração a visita à Quinta do Agricultor do Sr. Eugénio, e conta-nos o porquê. “Quem quiser conhecer com mais profundidade para lá da daquilo que todos já conhecemos, a Quinta do Agricultor dá-nos um bocadinho mais e a família que lá vive é espetacular . Comes o que eles produzem da Terra, ele explica como é que produz as coisas e tens ali um contato com pessoas que vivem na simplicidade, que vivem na essência e sentes outra coisa… que aquela família é mesmo feliz. E aquilo coloca-te várias coisas em perspetiva. Este contato com as comunidades locais, foi muito bom. Para quem gosta de pessoas aquilo é uma boa experiência porque estás mesmo com as pessoas de lá .” “Quem quer sentir e viver as tradições daquela terra a Quinta do Agricultor é absolutamente inspirador, tens ali uma experiência 360.” Ilha do Pico “Eu amei a Ilha do Pico e a subida ao Piquinho foi a experiência mais inspiradora do meu 2021” A visita à Ilha do Pico foi uma experiência de lazer mas também muito transformadora para a Isabel. A subida ao Piquinho, o ponto mais alto de Portugal, já era algo que a Isabel queria fazer há muito tempo. Para além do desafio físico, esta caminhada de 7 horas, trouxe-lhe um puro contacto com a natureza e consigo mesma. Sempre acompanhados por guias especialistas que prestam o maior acompanhamento durante a jornada, esta é uma experiencia incontornável para quem gosta de caminhadas, contacto próximo com a Natureza e de alcançar uma vista inesquecível que ganha um valor ainda maior quando associada á vitória da escalada. Isabel Silva é defensora que o lazer é fundamental na nossa vida e, portanto, é uma importante contribuição para a nossa saúde. Para a Isabel, caminhar até ao ponto mais alto de Portugal foi um desafio. Confessa que “houve momentos que foram difíceis. Aquilo enrijece o nosso sistema imunitário”. Mas depois há a recompensa. A Chegada ao topo é um dos momentos a guardar na memória “quando chegas lá acima, olhas à tua volta e pensas: “eu estou no sítio mais alto de Portugal, eu estou com uma equipa espectacular aqui ao meu lado, com os meus amigos…. Foi espectacular comer a minha marmita, no ponto mais alto de Portugal, comi o meu arroz integral com feijão azuki no Piquinho! E ISTO não há nenhum restaurante no mundo que me dê essa paisagem e esse prazer!” Algumas das pessoas que a acompanharam chegaram a pensar que não estariam à altura do desafio mas todos chegaram ao topo. “Só não fazes aquilo que tu não queres e que não te predispões a fazer…Toda a gente consegue fazer. Uns podem demorar mais umas horas, outros podem demorar menos. E todos conseguimos desfrutar do processo”, Confessou também que o que mais a impressionou, para além da superação pessoal, foi o contacto com as várias gerações de caminhantes que foi encontrando no percurso, onde destaca uma família de diferentes gerações. “Foi altamente inspirador e mágico, estar ali à conversa com aquelas pessoas e perceber o que move cada um deles a estar ali. E aí que tu vês que todos somos capazes”. Mais do que pôr à prova o seu corpo físico, a Isabel destaca o trabalho interior e o impacto que teve na sua mente e no seu interior. “Respiras ali aquela energia, aquela vitalidade e depois desces devagarinho com tempo e durante aquelas 8 horas, eu meditei bastante! As pessoas estão conectadas com elas próprias e estão a organizar a vida delas e aquilo é uma coisa que não consegues sentir em qualquer lado. Há determinadas meditações e reconexões que tu só consegues sentir quando te permites viver estas experiências. Quando já não há mais nada para falar, já não há mais nada para pensar e tu, de repente, Wow! olhas para a tua senhora cá dentro e a subida ao piquinho deu-me isso.” Contou-nos também que logo após a descida, com a descarga toda de adrenalina a fome veio ao de cima. Mesmo ali à beira, no restaurante “Ancoradouro”, nunca uma refeição lhe soube tão bem. Provou comidas típicas açorianas e foi presenteada com um super pôr do sol. “A vida é ISTO ! É tu permitires-te sair, praticar atividade física, estares com os outros, a beber um copo de vinho e relaxar. As pessoas estão à procura da Felicidade em coisas grandes, … eu acho que está nas coisas mais pequeninas “ Para além da experiência que mais a marcou no Pico, confidencia que gostou do alojamento onde ficou, “Alma do Pico” e ainda da visita às Vinhas que “foi uma experiência mais calma mas muito enriquecedora e estivemos em contato com as comunidades locais que também foi uma agradável surpresa.” O programa que eu fiz está bastante equilibrado porque tem momentos de mais algum esforço físico e tem outros que mantêm alguma atividade física, mas é mais moderado. A Isabel salientou que o programa pode parecer que é apenas para quem tem uma boa preparação física por isso esclarece que esta viagem tem outras actividades que foram muito menos exigentes, como a visita às vinhas no Pico e o passeio para ver os golfinhos e ainda a visita à fábrica do Chá da Gorreana e suas plantações em S.Miguel. Uma das coisas boas destas viagens é que o plano está feito de forma, a que tu tenhas tempo para viver a experiência e, isso para mim, é muito valioso. É algo em que as pessoas se esquecem no seu dia a dia. O programa da Top Atlântico +Planeta nos Açores passou no exame e teve total aprovação da Isabel Silva . O Equilibrio entre as atividades de maior esforço e superação física com as experiências calmas, sublimes e culturalmente ricas fazem desta viagem uma experiência memorável. E no final a Isabel rematou a nossa conversa revelando que esta viagem aos Açores ficou na sua alma e coração. Estas viagens fazem-nos lembrar que afinal a felicidade está nas coisas simples. Fazem-nos lembrar também que viajar de forma mais sustentável melhora a nossa vida em todos os sentidos. Superamos, vencemos e, certamente, tornamo-nos em pessoas melhores. Mais conscientes com o mundo e com os outros!” Se este relato da Isabel Silva o deixou curioso e quer viver este tipo de experiência marque a sua viagem Top Atlântico +Planeta