5 dicas para ter um dia especial na Ilha da Boavista

Top Atlântico / Publicado a
Vêm aí as férias e com elas a oportunidade de viajar até um lugar tranquilo e genuíno, onde reina a boa disposição e cores alegres por todo o lado. Boavista, uma ilha em Cabo Verde que oferece felicidade e muito sol, é a nossa recomendação. Pertencente ao arquipélago de Cabo Verde, Boavista é famosa pelas dunas de areia branca e os 55 quilómetros de praias, onde as tartarugas marinhas desovam e onde se chegam a avistar baleias-jubarte em migração. Todo um cenário de beleza natural realmente deslumbrante que está convidado a conhecer. Por muitos dias que tenha para visitar e explorar a Ilha da Boavista, partilhamos cinco dicas para vivê-los de forma especial.

Começar a manhã em Rabil

Em Rabil, sugerimos que comece o dia com uma ida à Praia de Chaves onde se encontra a antiga fábrica de cerâmica e olaria, entretanto coberta por areia com exceção da chaminé em tijoleira, que continua visível na praia. Atualmente, a oficina-escola de Rabil é a única olaria em atividade, onde se pode assistir à tradição de moldar o barro ainda segundo métodos tradicionais, desde máscaras a jarras com caras africanas ou reproduções de tartarugas. Aproveitando que está na Praia de Chaves, desfrute da imensidão de areia e da água límpida a 22ºC, além da variedade de peixes que é possível ver a nadar de perto.

Foto: ©Turismo Cabo Verde

Das dunas para o mar

Indo para a zona sul da ilha, recomendamos que se aventure numa excursão de moto4 ou de jipe pelas dunas, passando por Povoação Velha em direção à Praia de Santa Mónica, uma das mais bonitas e conhecidas praias da ilha, embora isolada e bastante tranquila. Afinal, são 10 quilómetros de areia branca e fina, cardumes de peixes curiosos, aves marinhas, grutas por descobrir e várias espécies de tartarugas que vão ali desovar entre junho e outubro.

Explorar o mar

Já no mar, são muitas as possibilidades de mergulhar no maravilhoso mundo aquático. Pode fazer uma viagem de catamarã, alugar equipamento de snorkeling ou mergulho, andar de caiaque ou de gavoita. Debaixo de água, sempre cristalina e morna, poderá ver de perto os inúmeros peixes, ouriços do mar e outras espécies marinhas que habitam nos recifes.

Saborear uma mariscada

Voltando para norte, o ilhéu de Sal Rei é o spot ideal para uma mariscada à base de lagosta ou outras iguarias, como moreia frita. Ambos são típicos da gastronomia cabo-verdiana. No final da refeição, nada como um passeio pelo mercado municipal, onde poderá comprar pequenas lembranças a preços muito acessíveis.

Divertir-se à noite

Se, durante o dia, a animação varia entre alguns passeios e atividades para desfrutar da ilha, à noite a animação é garantida pelos ritmos quentes das discotecas, ou não estivesse na terra onde se ouve e dança a morna.