8 gestos simples para viajar de forma mais sustentável

Top Atlântico / Atualizado a
As alterações climáticas são inevitavelmente a maior ameaça que o nosso planeta, a nossa maravilhosa “casa comum”, enfrenta. Felizmente, cada vez temos mais informação sobre como podemos reduzir a pegada ecológica: seja através da alimentação, vestuário, reciclagem ou até mesmo através da forma como viajamos. É sobre este último ponto – sobre viajar de forma amiga do ambiente – que vamos falar aqui. Porque viajar é abraçar o que nos rodeia não só com o olhar, mas cada vez mais com uma ação que se quer efetiva, consciente e cuidadora.
Gestos simples fazem uma grande diferença.

1 – Evite voar para destinos próximos

Em viagem o transporte aéreo é o maior produtor de CO2. Isso não significa que deverá cortar em absoluto com as viagens de avião. O nosso conselho é que opte pelo comboio, autocarro ou mesmo pelo carro (a dividir com mais pessoas) se estivermos a falar de uma viagem curta, por exemplo de Berlim a Praga. Aproveite o chamado “slow travel” e faça do caminho, das paisagens que se cruzam consigo, das diferenças a cada quilómetro, parte integrante da viagem.

2 – Se voar, faça-o em classe económica e dê preferência a voos diretos

Voar em classe económica é “saudável” para a carteira, bem como para o planeta. Isto acontece porque a pegada de carbono dos passageiros de um avião é calculada com base no espaço que cada passageiro ocupa. Ora, em business class os assentos são duas vezes maiores, aumentando assim a pegada de carbono. Já os voos diretos necessitam de menos combustível para alcançar o seu destino, sendo mais um argumento para optar por este tipo de voo.

3 – Mantenha a poupança de energia no hotel como se estivesse em sua casa

Os hotéis ou resorts costumam alimentar um lado mais “ávido”, levando-nos por vezes a esquecer da poupança de eletricidade, água ou ar condicionado. Contudo, é fulcral manter uma consciência ambiental ativa em todos os lados desta nossa casa comum. O equilíbrio e bom senso tornam-se assim comportamentos fundamentais, de forma a evitar o desperdício energético.

4 – Aposte (e delicie-se) na cozinha local

Esta é uma das partes mais saborosas de viajar: descobrir novos ingredientes e como estes se fundem em receitas nunca antes degustadas. Procure comer sempre em restaurantes e bares locais não só pela experiência propriamente dita, mas também porque irá estar a reduzir a pegada de carbono e a apoiar a economia local.

5 – Prefira produtos e serviços locais

No seguimento do ponto anterior, opte não só por comida local, como por produtos locais. Esta é a forma mais barata de conseguir um produto realmente especial sem os custos naturais inerentes às importações. Por exemplo, numa ida à Colômbia, poderá comprar uma mochila Wayuu, tecidas à mão pelos povos indígenas Wayuu do deserto da Península de Guajira. Uma excelente forma de adquirir algo único e ainda ajudar o comércio local.

6 – Não apoie o turismo em que os animais são maltratados

É fulcral alertar para este importante ponto. Existe um tipo de turismo à volta dos animais, no entanto nem todos cumprem as regras e respeitam o bem-estar dos mesmos. Passeios em elefantes: não o faça. Estes animais são capturados no seu habitat (não numa perspetiva de proteção de espécies) domesticados através de maus tratos e trabalhando horas a fio, com muito poucas horas de descanso. Tirar fotografias com tigres domesticados: não o faça. Estes animais estão fortemente sedados e passam o dia acorrentados ou limitados a um espaço muito pequeno, que nada tem haver com a sua natureza selvagem. Estes são apenas dois exemplos, mas existem muitos mais. Acima de tudo, procure estar alerta. Normalmente se o animal está afastado do seu habitat e a fazer tarefas para humanos é porque não estão nas condições indicadas. Se, por outro lado, quer apreciar os animais em toda a sua beleza, existem opções sustentáveis, como a observação de baleias e golfinhos nos Açores, através de projetos como o Futurismo, cujo principal objetivo é a sua preservação no habitat natural.

7 – Faça esta pergunta “Quero mesmo este souvenir?”

Parece simples, mas por vezes damos por nós a comprar souvenirs que após um ano (ou menos) já ninguém se recorda. Por isso, reduza o consumo e quando for consumir prefira produtos locais, tal como mencionado no ponto 5). Se quer levar uma lembrança mais em conta, pode sempre apostar num postal com uma mensagem escrita por si. Personalização é sempre uma excelente opção.

8 – Leve sempre consigo uma garrafa de água reutilizável

E terminamos com um dos gestos mais simples, mas que continua a ser esquecido por muitos turistas: levar nas suas viagens uma garrafa reutilizável.
“Se a tendência atual continuar, até 2050, existirão 12 mil milhões de toneladas métricas de plástico nos aterros. Esta quantidade é 35 mil vezes mais pesada que o Empire State Building.” – National Geographic
Seja um verdadeiro turista e tenha um profundo respeito pelo planeta onde habita. Descubra ainda quais os destinos mais sustentáveis, segundo a Global Destination Sustainability Movement, e marque já a sua próxima viagem a esses locais.