Da obsessão à fobia de voar num avião

Top Atlântico / Atualizado a
Voar pode não ser uma capacidade inata à natureza humana, mas a possibilidade de atravessar os céus para chegar a um destino longínquo, trouxe sem dúvida um novo ânimo à ideia de viajar. Afinal, o avião continua a ser o meio de transporte mais rápido e seguro, quando comparado com o carro, o comboio ou o barco. Porém, quando se trata de voar, nem todos partilham da mesma opinião. De um lado, há quem passe a vida em viagens, do outro há quem tenha uma verdadeira fobia de estar com os pés acima da terra. Vejamos então o que motiva ou desmotiva estas pessoas.

Sobre a obsessão de voar

Sabia que existe um nome para quem sente o desejo constante de conhecer novos lugares? O Síndrome de Wanderlust caracteriza as pessoas que, entre os 20 e os 40 anos, têm uma paixão incontrolável de viajar, ao ponto de valorizarem mais a experiência que o próprio destino. Assim, nem sempre escolhem viagens em busca de conforto, mas sim de novas aventuras, têm a vida organizada para se adaptar a oportunidades repentinas de viajar e procuram “qualquer” pretexto para fazê-lo. Identifica-se? Por norma são pessoas que adoram viajar de avião, sozinhas ou acompanhadas. E sempre que a viagem termina, o pensamento concentra-se de imediato na escolha do próximo destino.

Sobre a fobia de voar

Ora então, se há um nome para quem é obcecado por viagens, é claro que teria de existir um termo para quem sofre da fobia de voar. Aerofobia é um medo irracional que afeta muitas pessoas pelo mundo inteiro, causando ansiedade e transtornos, principalmente nas situações em que é preciso viajar por razões profissionais. Porém, também é natural que este medo se manifeste de forma diferente em cada pessoa, que pode simplesmente recusar-se a viajar, limitar-se a uma viagem por ano ou enfrentar o seu medo através de algumas técnicas de preparação mental que o farão voar sem medo.