4 dicas para passar o Réveillon no Rio de Janeiro

Top Atlântico / Publicado a
Bem-vindo ao Rio de Janeiro, um dos 5 destinos recomendados para um Réveillon mágico junto ao mar. Cidade Maravilhosa, contagia-nos com a sua alegria, ritmos e praias mundialmente famosas, mais ainda quando é para festejar o ano novo rodeado de pessoas que sabem como se divertir. Para ter uma ideia da importância dada à passagem de ano, na Praia de Copacabana as festividades vão durar 12 dias, começando no dia 26 de dezembro até 6 de janeiro, Dia de Reis. Se a ideia é ir até ao Rio e participar nesta celebração que acontece em pleno verão brasileiro, aqui ficam 4 dicas para aproveitar ao máximo.

1.Réveillon é em Copacabana

Muito provavelmente não será novidade para si, mas nunca é demais reforçar que a Praia de Copacabana é ideal para comemorar o Réveillon, fazendo desta noite a maior festa de céu aberto do mundo. Um pouco por todo o lado, existem festas temáticas privadas, mas receber o novo ano com os pés enfiados na areia, a ouvir música com vista para as estrelas e a ver o fabuloso fogo-de-artifício, será uma das melhores experiências da sua vida.

2.Réveillon é cumprir as tradições

São algumas as tradições que os brasileiros cumprem durante o Réveillon, mas o que significam? Usar roupas brancas: Já nos habituámos a ver imagens do ano novo com a multidão vestida de branco. Esta “cor” simboliza paz, sendo que no Brasil tornou-se comum nos anos 70 quando seguidores de Lemanjá (deusa do oceano) decidiram fazer oferendas na Praia de Copacabana com o lançamento de flores brancas ao mar, influenciando quem por lá passava. Esta forma de pedir desejos para o novo ano tornou-se rapidamente um ritual que se mantém até aos nossos dias. Por outro lado, também há quem prefira combinar uma peça de roupa branca com outras cores, como por exemplo o vermelho que simboliza amor e o amarelo que é para desejar dinheiro. Saltar sete ondas: Assim que termina o fogo-de artifício, surge a tradição de saltar sete ondas enquanto se pedem sete desejos diferentes. Um culto a Lemanjá que convém cumprir sem virar as costas ao mar para evitar acidentes. Pedir perdão: A passagem do ano é como o (re)início de um novo período. Faz-nos também perceber o que é preciso mudar para nos sentirmos bem na vida em comunhão com o mundo e com quem nos rodeia. Será, por isso, uma excelente oportunidade para pedir perdão às pessoas que, intencionalmente ou não, acabámos por magoar. Segundo o ritual brasileiro, caso a pessoa não aceite o pedido de desculpas, deve repetir-se por três vezes.

3.Réveillon é saber por onde andar

Com os milhares de pessoas em movimentação nas ruas, os acessos a Copacabana ficam interditos por questões de segurança. Se costuma andar de táxi, fica o aviso de que será bastante difícil encontrar um livre e mais ainda não ser enganado com valores muito acima do que seria cobrado noutro dia. Para quem tenha carro alugado, saiba que o estacionamento na zona de Copacabana fica restrito aos próprios moradores logo no início do dia 31 e que a partir das 18h é mesmo impossível circular no bairro. Por tudo isto, a melhor forma de chegar à praia será de metro. Sendo uma ocasião especial que levará a filas enormes, os bilhetes costumam ficar à venda nos dias que antecedem o dia 31, pelo que recomendamos a sua compra assim que lhe for possível. Boas viagens!

Foto: Diário do Transporte

4.Réveillon é ter alguns cuidados

Festejar o novo ano num país diferente e numa cidade assim tão populosa, implica ter alguns cuidados enquanto turista. Assim, é muito importante ter consigo cópias autenticadas dos seus documentos e evitar por completo andar com os originais, incluindo cartões de crédito. O ideal será ter o dinheiro necessário para a sua noite de Réveillon. Por outro lado, e seja em relação aos documentos ou pertences, é recomendável que estejam sempre à frente do seu corpo e nunca nos bolsos da roupa, numa mala ou mochila às costas, para evitar roubos.

Pronto para entrar em 2019 no Rio de Janeiro?